<

Alexandrina e a Santa Cruz

É claro no colóquio, abaixo citado, entre Jesus e Alexandrina, que a Cruz aparecida em Balasar, no ano de 1832, foi um sinal enviado por Deus. A cruz tem como simbolismo a vida e missão de Alexandrina que, à semelhança de Jesus, ofereceu o seu corpo e alma como vítima de expiação para a salvação das almas.

De facto, durante 4 anos, a Beata Alexandrina sofreu a Paixão de Jesus, sofreu a crucifixão como prova de sofrimento pelos pecadores.

No colóquio de 5 de dezembro de 1947, Jesus falou assim à Beata Alexandrina:

«És a Minha vítima, a quem confiei a mais alta missão. E como prova disso atende bem ao que te digo para bem o saberes dizer.

Quase um século era passado que eu mandei a esta privilegiada freguesia a cruz para sinal da tua crucifixão. Não a mandei de rosas, porque a não tinha, eram só espinhos; nem de oiro, porque esse com pedras preciosas serias tu com as tuas virtudes, com o teu heroísmo a adorná-la. A cruz foi de terra, porque a mesma terra a preparou. Estava preparada a cruz; faltava a vítima, mas já nos planos divinos estava escolhida; foste tu. O mal aumentou, a onda dos crimes atingiu o seu auge, tinha que ser a vítima imolada; vieste, foi o mundo a crucificar-te.»

S. A.; 05/12/1947

X