<

No passado dia 14 de junho, celebrou-se mais um marco histórico na vida de Alexandrina Maria da Costa com o lançamento da sua Autobiografia, numa edição teológico-pastoral, que será o primeiro volume de um conjunto de escritos, que a seu tempo serão estudados e editados, de forma criteriosa e clara, compilando, assim, as obras completas da sua vida.

A apresentação deste primeiro volume esteve a cargo do Sr. Arcebispo D. Jorge Ortiga; o Pároco de Balasar e Presidente da Fundação Alexandrina de Balasar, Manuel Neiva; o Doutor João Duque, Presidente do Centro Regional de Braga da Universidade Católica Portuguesa; Doutor Alexandre Freire Duarte, responsável pelos estudos da Beata Alexandrina e o Dr. Costa Santos, responsável da diocese pelo Nihil Obstat.

A sessão iniciou-se com as palavras do Pároco Manuel Neiva, que salientou a necessidade de um estudo sério para, assim, dar a conhecer a obra e a vida da Beata Alexandrina, dado que “Alexandrina merece mais que uma devoção popular”. Neste sentido, referiu que seria urgente que os escritos fossem estudados por alguém especializado em Teologia Mística, por isso, e conjuntamente com o Sr. Arcebispo D. Jorge Ortiga, apresentou o desafio à Universidade Católica Portuguesa, que de bom grado aceitou.

A sessão prosseguiu com uma apresentação da obra referenciada e do currículo do Teólogo Doutor Alexandre Duarte, por parte do Dr. Costa Santos, salientando a atualidade da mensagem de Alexandrina Maria da Costa, para os nossos dias “pois ela não é uma ilha isolada, mas o seu saber cruza-se com o nosso”.

O Professor Alexandre Duarte, por sua vez, corroborou as palavras do Dr. Costa Santos, frisando a grandiosidade da mensagem de Alexandrina Maria da Costa sendo esta obra, tão ansiada, “a primeira peça de dominó a tombar, numa sequência, que se prevê, longa de textos que irão sendo lançados a público, partindo de uma preocupação essencialmente pastoral”, não descurando do rigor científico e teológico. Termina convidando todos a deixarem-se cativar pelos textos de Alexandrina Maria da Costa.

O Doutor João Duque louvou a Fundação Alexandrina de Balasar, por esta grande iniciativa, frisando que não é muito comum a divulgação dos escritos de forma critica e cientifica de alguém que ainda está nos inícios da sua devoção popular.

Encerrando esta apresentação, D. Jorge Ortiga realçou que foi um dia de singular importância não só para Balasar, mas para toda a Arquidiocese, pelo lançamento de uma Autobiografia verdadeira, “que não é feita de qualquer maneira, mas sim de uma forma critica (…), com seriedade e profundidade, mostrando o verdadeiro rosto de Alexandrina”. Frisou que este foi o primeiro passo de uma vasta obra que se pretende publicar, pois “sabemos que a Beata Alexandrina escreveu muito mais, não só por vontade própria, mas pura e simplesmente para corresponder áquilo que o próprio Deus lhe dizia, sendo estas as inspirações divinas que a levava a fazer um ato de obediência.”

 

“Aqui fazemos votos para que todos os escritos de Alexandrina sejam em breve publicados; só então será possível colher toda a beleza e riqueza do quadro que o amor de Deus nela nos deu”. (Pe. Humberto Pasquale)

X