<

No dia 25 de abril, o Santuário Alexandrina de Balasar celebrou o 14º aniversário da beatificação de Alexandrina Maria da Costa. Pelo Santuário passaram uma média de 3500 peregrinos para assistirem às cerimónias que decorreram durante este dia festivo. Na Eucaristia dos doentes, presidida pelo Sr. Arcebispo D. Jorge Ortiga, este falou sobre referiu que a Beata Alexandrina foi uma “mulher de esperança”, pois na sua vida “viveu sempre em união com Nosso Senhor Jesus Cristo”. Foi também uma mulher que “despertou a esperança em muita gente que vivia em sofrimento”. Assim a Beata Alexandrina, será um modelo a seguir, exemplo para a vida de cada um.

Por fim, D. Jorge Ortiga, propôs aos fiéis que trabalhassem para a sua santidade no seu dia a dia, tal como o Santo Padre refere na sua carta Apostólica.

Após a cerimónia, na qual foi dada a bênção aos doentes, foi apresentado um pequeno vídeo com o projecto do novo Santuário, no qual se ficou a saber as valências que o mesmo iria albergar, entre os quais terá a capela de Adoração, o túmulo da Beata Alexandrina, acolhimento ao peregrino e centro de estudos. D. Jorge Ortiga anunciou que ainda este ano iria ser lançada a primeira pedra, para a construção do novo Santuário

Seguidamente rumaram à casa da Beata Alexandrina onde se assistiu à inauguração do jardim “Esposa Amada, Flor Cândida do Paraíso” e também do museu dedicado à Beata Alexandrina e aos ex votos.

Durante a tarde as cerimónias arrancaram com a Adoração ao Santíssimo Sacramento, presidida pelo Padre Dário Pedroso, S.J. Na breve reflexão feita pelo Padre Dário, este referiu que nos dias de hoje muitos” jovens têm vergonha de falar de Jesus” e muitos de nós tem medo de “testemunhar o evangelho”.

O culminar das celebrações terminou com a Eucaristia festiva, presidida pelo Pároco Padre Manuel Neiva. Na sua homilia fez alusão à santidade da Beata Alexandrina, pois ela afirmou muitas vezes “Quero ser santa”. Referiu que a santidade não é um privilégio de algumas pessoas, pois todos somos chamados a ser santos. “Então qual o caminho para santidade? As bem-aventuranças.”, caminho que foi escolhido pela Beata Alexandrina.

X