Alexandrina e S. José

«“Minha filha, ouve bem, é isto o que te custa. Eu amo-te tanto, tanto, que abaixo da minha Mãe SS. e do meu Pai adoptivo S.José, não terei no Céu santo que

Eu possa amar mais do que a ti. É certo que por entre flores têm espinhos, mas colhem-se as flores e eles ficam. Fui Eu quem os pôs para elas melhor poderem brilhar. Repousa, minha filha. O teu leito será os  meus santíssimos braços, os da minha Mãe Santíssima na minha Eucaristia”». (C.P.M; 22/11/37)

 

«Para alegrar a Mãezinha, quero sofrer neste dia para que o meu querido S. José seja amado, muito amado. Eu não quero sofrer nada, nada por interesse meu, mas sim para alegria de Jesus e da Mezinha.»

(Diário Autografo; 19/05/1948)

«Vou a S. José buscar amor, para amar a Jesus e a Mãezinha e união para com a Santíssima Trindade.»

(Diário Autógrafo; 15/06/1949)

X